Cabeça Pensante

BBB-Base-Olho Esses dias andei pensando no programa Big Brother Brasil. Eu acompanhei alguns dias, mas não é uma coisa que eu sigo muito (mas já teve um ano que até comprei o Pay Per View). E me lembrei também dos massivos posts nas redes sociais chamando de ignorantes e estúpidos aqueles que assistem a esse de programa. Como diziam: “que graça tem ficar olhando o dia inteiro a pessoas de mentes vazias sem fazer nada?”. Gente, minha gente. Cada um assiste o que quer. E se a pessoa trabalha com finanças por exemplo, passou o dia inteiro vendo números em uma tabela do Excel e quando chega em casa a única coisa que quer ver é nada? Que cansou de “pensar demais” e que agora quer simplesmente assistir alguma coisa que te distraia e que não te faça pensar em nada? Não acho nada de errado nisso. O mesmo pra aqueles que azucrinam e falam mal das novelas. E quantas pessoas assistem? Eu mesmo, sou noveleira assumidíssima (novela da Globo, pls). E adoro a maneira que elas me distraem. Me emocionam. Me comovem. Me fazem rir e chorar. Então voltando ao início: eu é que pergunto qual é a graça de ficar falando mal do que os outros assistem, escutam, fazem ou sei lá o que. Pega sua televisãozinha e assiste àquilo que te interessa e fique bem! Divirta-se. Agora pra que tanta preocupação com o lado de lá? Ou vai me dizer que essas pessoas se sentem os próprios “divagadores de cultura” e que será interessante aquilo que eles consideram interessante. Tem gente que se diverte com Reality Shows. Gente com Novela. Gente com Fofocas. Gente com Fashion Bloggers. Gente com Discovery Channel e National Geographic. Gente com programas pra ver tatuando os outros, reconstruindo casas e reconstruindo carros. Gente que gosta de ver programas de casamento. Gente que gosta de assistir notícias. Gente que gosta de assistir seriado estrangeiro. Ou então filme pornô. Ou a um cara que pra sobreviver na selva tem que ficar comendo coisas nojentas. É assim gente. Cada um tem um gosto. Então, pra que falar mal?

*A foto foi tirada de alguém que exatamente não achou nada de interessante na TV e resolveu falar mal do BBB. Rimou 🙂

Vou postar um trecho da crônica de Ana Laura Nahas, minha conterrânea.

“É preciso ter fé em alguma coisa, nem que seja na Física, na teoria da relatividade e no fato de que há dezenas de verdades, boas e más, num único fato, de que dois pontos de vista diferentes oferecem visões diversas, e ambas perfeitamente aceitáveis, de um mesmo objeto. Daí as dores doem menos, os pesos pesam menos e, depois de algumas horas de sono, dá até pra reconhecer o esforço alheio de dizer, ir, deixar, perdoar ou ficar, o tamanho do passo que parece pequeno, mas quem sabe tenha sido imenso.”

Sim, precisamos ter fé em alguma coisa. E que a fé não seja apenas interligada à parte religiosa da coisa. Precisamos acima de tudo ter fé em nós mesmos. Se não tivermos fé em nós mesmos, quem o terá? Precisamos confiar na nossa capacidade de ir mais além e saber que muitos sonhos podem sim deixar de ser sonhos e se transformarem em realidade. Parece meio piegas dizer, mas é a mais pura verdade!!! Chegaremos onde quisermos, se tivermos determinação. Por isso até escolhi “determinação” como uma das minhas palavras do dia. Ela é o “start-up” de tudo não é mesmo????

Então, vamos lá! Eu tenho fé em mim, e você?  Tem fé em si próprio?

imagem tirada do Estadão

imagem tirada do Estadão

Vamos voltar um pouquinho na História. Naqueles tempos de Independência do Brasil, quem tinha o poder nas mãos eram os senhores de terra (os grandes fazendeiros, que exploravam os camponeses e agregados que trabalhavam em troca de favores. Certo. Ali nasceu o MST, que era exatamente o grupo que não queria ter sua mão-de-obra explorada e queria ter seu próprio pedaço de terra. Legal, eles tinham um ideal. (até rimou!). Os anos foram passando e esses ideais foram se perdendo no meio do caminho. Virou então essa PALHAÇADA. Um bando de vagabundo (perdão pela palavra) sem nada pra fazer usando a violência para tomar o que não é deles. E aquele cara que trabalhou a vida inteira que nem um condenado, pra conseguir comprar um pedacinho de terra e curtir lá sua aposentadoria? Ah, azar o dele.  E ainda dizem que só tomam terras improdutivas. Óleo de peroba neles! Aí tá, eis que eu, há umas semanas atrás, já no meu fim do dia assistindo meu companheiro Jornal da Globo, de repente me aparece aquela cena dos MST’s tomando um trator e destruindo milhares de árvores frutíferas. Minha vontade na hora foi de pular dentro da TV. Peraí, né? Virou farra? Ah tá, dois foram punidos. Dois. E o nosso presidente no mínimo viu isso em casa e deu risada: – Meus amigos são porretas! Pô Excelentíssimo Presidente, então arruma um empreguinho pra essa galera. Quem sabe assim não acaba esse ócio. Com certezase eles ocupassem a mente só um pouquinho, iam parar de ter idéias tão idiotas (ou assim esperamos). Realmente o Brasil é um país de festas, de farra. Farra do MST, farra dos traficantes, farra dos políticos corruptos, farra do policiais também corruptos… Ê alegria! E que venha 2014 e 2016!

jacqueUma indignação que hoje com certeza está na cabeça de muitos brasileiros: o caso da adolescente Jacqueline Ruas, de 15 anos, que foi para a Disney realizar um sonho e nunca mais voltou. Li sobre o assunto na revista Veja e assisti à reportagem no Fantástico há pouco. Realmente há várias versões e muitas lacunas sem preenchimento. Mas uma coisa é unânime: Como alguém pode ser tão irresponsável ao ponto de deixar uma menina viajar em tal estado??? Lembrei de um caso próximo, que por acaso aconteceu comigo. Também já fui adolescente e tinha o mesmo sonho. Cheguei a ir à Disney quando completei meus 15 anos com minha prima em uma excursão. Lá, passamos muito mal devido à comida nada saudável (nada mesmo). Não fomos levadas a um posto de saúde sequer mas ao mudar a alimentação melhoramos um pouco. Quando chegamos ao Brasil descobrimos que minha prima chegou a ter sangramento no estômago. E se tivesse perfurado? Uma simples gastrite poderia ter se transformado em algo fatal se não fosse tratado. É aí que vemos a falta de preocupação. Mas voltando ao caso da menina Jacque. Muito fácil para a agência de turismo despachar a menina para o Brasil, pois lá a “família cuida desse pepino”. Custava uma guia adiar sua viagem em um dia ou mais e tratar a menina corretamente? Penso no sofrimento dos pais em perder a filha única dessa maneira. E no sofrimento que a própria menina deve ter passado. É realmente revoltante, visto que o fator principal da morte da Jacqueline foi a negligência. Sei que sou um sussurro no meio de um grito, mas fatos como esse não podem ser apenas uma notícia da semana e acabar no esquecimento junto com tantos outros. Espero de verdade que os culpados sejam punidos por tal atrocidade. Descanse em paz, menina Jacque.

misses   Não sei se minha opinião vale muito nesse quesito mas sinceramente acho que as Misses tinham que ser eleitas por sua beleza natural. Porque há sim, e muitas, mulheres naturalmente belas por aí. Não acho justo uma mulher cirurgicamente modificada ganhar um concurso desses, pois afinal ela não é exatamente do jeito que está se mostrando ser. Usemos como exemplo o caso das olimpíadas e competições esportivas. Os atletas devem passar por um exame anti-doping para provar que não há nada modificando-os de sua condição natural. Ou seja, tinha que haver um exame anti-plástica em concursos de misses, assim elas provariam que são belas por natureza. Se os atletas passar por esses testes, porque elas não? É uma pergunta que me faço. Me perdoem os aficcionados por esse tipo de concurso, mas pra mim já perdeu sua credibilidade. Antigamente não tinha isso, tinha?! E as vencedoras eram belíssimas. Lanço então minha campanha: Exame Anti-plásticas nas misses SIM!Ou elas mostram de onde vieram e como realmente são, ou nem se arrisquem a entrar na competição. Chequem on-line as últimas misses e vejam quantas plásticas cada uma tem e verão que o número só aumenta!

                      3 mulheres                                                                                                                                           Eu não sou advogada e muito menos conheço as leis do direito, mas acho o sistema judiciário do Brasil um tanto… peculiar. Prova disso são três casos vistos na mídia recentemente. Primeiro, o caso da Eliana Tranchesi, a empresária dona da famosíssima Daslu que foi condenada a 94 anos e meio de prisão. O que ela fez? Sonegou alguns “impostinhos” do governo. O segundo, foi o de Anna Carolina Jatobá que está presa e aguardando julgamento por ter matado a enteada (juntamente com o pai da menina). E terceiro, o de Suzane Richthofen condenada a 39 anos de detenção e 6 meses de reclusão por ter matado os pais (não foi condenada a 60 anos pois era menor de 21 anos quando o crime ocorreu). Analisando… A menina que mata os pais pega 39 anos, a que mata a enteada fica num lenga-lenga eterno e a que sonega impostos é condenada logo de cara a 94 anos. Então ta. Isso quer dizer que sonegar impostos é muito pior que matar os pais ou matar a enteada. Ou melhor dizendo, mexer no dinheiro do governo é muito pior do que matar qualquer pessoa. Lógico que essa regra não se aplica aos políticos. Lógico. Que tiram rios de dinheiro dos cofres públicos e quando são pegos não permanecem nem 15 dias na prisão. Ah é, eles podem. A empresária não. Logicamente que não estou defendendo-a, se ela fez errado ela tem que pagar por isso. Só acho que houve um exagero. Como disse, pessoas que fizeram pior, foram condenadas a menos tempo. E é isso que eu não entendo. Bom, se algum advogado ou alguma pessoa que entenda mais desse assunto que eu, tiver uma explicação plausível pra isso, sou toda ouvidos.

msnpt                          Tenho certeza que qualquer gramático que se preze odeia a internet. Principalmente o msn. Não existe lugar no mundo com maior quantidade de erros de português que esse. Daqueles que doem na boca do estômago sabe? “naum esqueci d levar pra min, intendeu?” Ai, como dói. Há erros de digitação que são comuns, ou aqueles por falta de atenção (quando se está fazendo a peripécia de digitar e falar ao telefone, tudo ao mesmo tempo, por exemplo), mas tem aqueles cabeludos, feios, horrorosos, de pura burrice. Tudo bem, tudo bem, não estou dizendo que todo mundo deve ser uma gramática ambulante (nem eu sou), mas tenha dó. Devo cometer algumas gafes por aqui também (e vocês sintam-se à vontade para corrigi-las). Mas calma. Isso aqui não é uma aula de redação para chegar fulaninho dizendo: “Faltou uma vírgula ali”. “O a é craseado” , etc. Se fizer quem vai sair de chato é você. Bom, voltando… O que eu estou querendo dizer é como há pessoas com 3º grau completo ou até mesmo com Ensino Superior completo cometendo erros de ortografia vergonhosos. Deem uma vasculhada no Orkut e vocês verão as pérolas. Puxa gente, saia um pouquinho da TV e vá ler um livro!!!  Na faculdade mesmo, muitos professores comentam dos erros vistos nas provas… Isso tudo é resultado da falta de cultura, da falta de vontade…Escrevem errado achando a coisa mais normal do mundo. Longe de mim estar criticando aqueles que não tiveram a oportunidade de aprender a ler ou a escrever. Longe de mim. Falo daqueles com condição, que estudaram, se formaram, e quando vão escrever um texto, escrevem tudo errado. E se errei feio, me desculpem. Nas novas regrinhas da gramática então… Ainda não consegui me adaptar. Só peço mais uma vez: leiam, leiam muito. Leiam mais. Leiam sempre.


  • Nenhum
  • Cabeça Pensante: eu comentei no seu blog?? Me desculpe mas não me recordo de tal comentário! Infelizmente esse blog está repousado no freezer e sem data pra voltar.
  • Cabeça Pensante: que gafe a minha. devidamente corrigido.
  • Mariana Moura: Cabeça Pensante!.... Acho que é por vc, quem eu tenho procurado... Há algum tempo, eu recebi um comentário no meu blog... é vc que segundo suas p

Categorias